O que vale reformar antes de vender um imóvel

Investir em alguns reparos e modificações num apartamento ou numa casa pode servir de critério de desempate para um comprador e até valorizar um pouco mais o preço da residência. A dica é especialmente importante para quem tem pressa em fechar negócio. “O principal objetivo é assegurar o valor da contraposta e ganhar a possibilidade de uma venda mais rápida”, explica Renato Teixeira, presidente da rede de franquias imobiliárias RE/MAX Brasil.

As necessidades de reforma variam muito de um imóvel para outro. Alguns pontos, porém, são mais comuns na hora de preparar um imóvel para a venda. Saiba o que vale a pena ou não reformar antes de vender um imóvel ou uma casa.

Pintura externa

No caso de um apartamento, não há muito o que fazer, já que as decisões são tomadas em conjuntos por todos os moradores. Porém, quando o imóvel é uma casa, vale a pena investir na pintura externa. “Uma casa pichada, por exemplo, pode transmitir uma sensação de abandono do imóvel e até de insegurança sobre a rua”, diz Roseli Hernandes, diretora da Lello Imóveis. Por isso, vale a pena investir um pouco mais na preparação do lado de fora.

Pintura interna

Dar cor nova para as paredes internas vale a pena em dois casos. Primeiro, para transmitir sensação de limpeza. Segundo, para apagar cores muito diferentes e fortes. Uma parede vermelha ou amarela pode ser muito bonita, mas não agradar o próximo proprietário. “Sempre aconselhamos usar cores neutras, como branco, gelo e bege”, diz Roseli, da Lello Imóveis. Além de ter chances de agradar um número maior de interessados no imóvel, as cores neutras também facilitam que o proprietário aplique a cor que desejar após a compra e muitos podem levar esse benefício em consideração na hora de fechar o negócio.

Limpeza e cuidado externo

“Uma limpeza bem feita, grama bem aparada e piscina limpa são fatores que apaixonam os compradores”, afirma Renato Teixeira, da RE/MAX Brasil. Vale a pena investir nesses preparos.

Trocar cerâmica e pisos dos banheiros

Se o piso e a cerâmica dos banheiros de sua casa não forem novos, considere trocar. “Escolha cores mais neutras, que são mais fáceis de adaptar ao gosto de qualquer pessoa”, afirma Antônio Carlos Kieling, presidente da Exporevestir.

Hoje já existem pisos, como algumas opções de Porcelanato, que não necessitam que o piso anterior seja removido para uma nova aplicação. Isso é algo que deve ser considerado, já que o custo para aplicar diminui e pode valer mais a pena.

Fonte: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/o-que-vale-reformar-antes-de-vender-um-imovel

Quando vale a pena reformar

Alterações certeiras podem elevar o preço do imóvel.

Confira as dicas

A princípio, é importante avaliar o valor de venda e o valor de uso do imóvel. Se a intenção é reformar a casa para vendê-la logo em seguida, os ajustes a serem feitos devem ser mais superficiais, afim de garantir um visual bonito e atrativo para possíveis compradores, gastando o menor valor possível. “O indicado é fazer um pré-orçamento e consultar um avaliador imobiliário para ter o valor de mercado sem a reforma e o valor depois de reformado. Se o valor de mercado do imóvel, somado aoinvestimento na reforma , for até 20% menor do que o valor que atingirá reformado, encarar a obra é um ótimo negócio”, garante a arquiteta Samira Jarouche.

Porém, tão importante quanto o valor de venda, é o valor de uso do imóvel. “Se a intenção é habitar no apartamento por 20 anos, por exemplo, é claro que qualquer modificação que aumente o conforto do usuário é bem-vinda e vale a pena. Mesmo que signifique alguma desvalorização”, explica Ferraz.

Além de colocar na balança o valor de venda e de uso, vale lembrar que, ao reformar, o gosto pessoal é o que guia a obra. Isso pode desvalorizar um imóvel, caso o comprador não tenha o mesmo gosto que você. Por isso, a designer de interiores Adriana Scartaris recomenda optar sempre pelo o que é mais “clean”. “Para tornar o imóvel mais atrativo é indicado especificar revestimentos básicos e de boa qualidade, como cerâmicas, porcelanatos e granitos neutros, sem muita informação.”

Priorize e pense em soluções reversíveis

Uma dica importante antes de começar o quebra-quebra é criar soluções flexíveis, que podem ser revertidas facilmente no futuro. “Se o projeto for bem pensado, bastará construir uma parede de gesso acartonado no momento da venda para formar novamente um quarto perdido ou ainda isolar a cozinha da sala, por exemplo. Assim, o imóvel tem chance de agradar a vários potenciais compradores”, garante Ferraz.

A reforma também não precisa ser total para melhorar o estado do imóvel. De acordo com o arquiteto e designer de interiores Fábio Galeazzo, setorizar a reforma é importante para priorizar o que realmente necessita reparos. “É importante um olhar mais afinado para separar a reforma em três partes: entender o que precisa de mudança total, como encanamentos; o que pode ser restaurado, como pintura de paredes ; para só então entrar com o que é realmente novo, como janelas ou lareira”, exemplifica Galeazzo.

Apostar no estilo contemporâneo de arquitetura também é apontado pelos especialistas como um fator positivo, que pode valorizar o imóvel e agradar um maior número de futuros interessados. Segundo Ferraz, buscar estilos arquitetônicos de épocas passadas provavelmente desvalorizará o imóvel.

Porém, de acordo com Samira Jarouche, pesquisar a região em que o imóvel está localizado e adaptá-lo de acordo com isso também pode ser um trunfo. “Por exemplo, se a região tiver vocação para complexos de escritórios pode ser bem interessante reformar uma casa mudando o estilo arquitetônico para um loft.”

Outro ponto apontado como certeiro na hora de valorizar um imóvel através de uma reforma é ampliar e melhorar a área de lazer da casa . “Em uma cidade caótica, hostil e tão desprovida de espaços públicos livres, como São Paulo, os espaços externos privados são quase que oásis urbanos e, portanto, muito valorizados”, afirma Ferraz.

Fonte: http://delas.ig.com.br/casa/arquitetura/quando-vale-a-pena-reformar/n1237786917251.html